terça-feira, 14 de setembro de 2010

Coração vencido


Então, agora, irei ouvir o meu chorar, amor...

Tente imaginar também...

Dois corpos suando no prazer pelo prazer

Enquanto um êxtase suspiro explode em marcas no corpo

O outro teima em lembrar

Esquece e lembra

No ritmo dos corpos

Esquece, Lembra, esquece, lembra...

Não esquece mais.

Explode o prazer e o corpo vencido... O corpo suprido lembra de chorar.

Mas não chora por amor esse coração que de amor sofre

Arranha-se por dentro com a sangria endurecida,

Não sabe se bate ou se pára... sabe que mexe

Não sabe se dói ou se acalma... sabe que mexe...

Tente imaginar também

Outra conversa com vozes que se encaixam num mesmo assunto

Pessoas disputando o prazer de falar e serem ouvidas

Com tantas coisas a dizer

Tantas pessoas pra ouvir

Cala-se.

Cala-se e vai lembrar

Ali parado vai lembrar

Perde as coisas do mundo, a opinião interessante de quem tem muito a dizer.

Enquanto falam de equações a mente intensifica a necessidade de chorar.

Mas não chora esse olhar que verte lágrimas

Afunda-se na órbita, se martiriza

A sobrancelha que é suave salta e disfarça

O seu olhar que é irreal fica e disfarça.

Tente imaginar também...

Comigo... Agora,

Irei ouvir o meu chorar, amor.

Irei...

Tente... Agora...

Wanderson Lana

09/09/2010

2 comentários:

Jhonathan disse...

Como sempre tu surpreende amigão... gostei dessa, onde vc diz: "Outra conversa com vozes que se encaixam num mesmo assunto

Pessoas disputando o prazer de falar e serem ouvidas

Com tantas coisas a dizer

Tantas pessoas pra ouvir

Cala-se" vc faz comparações, onde vozes se calam, mesmo na vontade de falar, conversar, se expressar, serem apenas ouvidos... Meus parabéns, continue assim... O sentimento q vc passa para os leitores (pelo menos p mim)
é de grande importância... valew amigão...

Darci Junior disse...

Que triste, mas muit lindo assim como tudo que você escreve.