domingo, 3 de janeiro de 2010

Cama de capim e vento



Construirei uma cama com capim real,

Deixarei nela um cheiro de jasmim e manhã

E bases de madeira leves e fortes como o vento.


Cercarei de roupas espalhadas pelo chão

Aos pés chinelos, sapatos e tudo que lembre amanhecer.

Relógios sem alarme ao alcance sem marcar hora alguma

Uma única janela teimosa em permitir o sol...


Construirei uma cama com capim real

Dormirei sozinho e estará você

O seu cheiro de manhã acalmando os sentidos

A roupa no chão revivendo o há pouco

E aos pés da cama a certeza de que iremos amanhecer.


Construirei...

Um recanto de lembranças palpáveis

E sentimentos sobre bases de madeira...

madeira leve e forte como o vento.



Wanderson Lana

10 comentários:

Gustavo Henrique disse...

Isso é singelo e Bonito!

Victor disse...

Parabéns Wanderson...

Essa poesia me faz lembrar de relacionamentos passados...
principalmente um dos nossos primeiros, pois me fez lembrar do passado.
Do seu cheiro, das suas roupas, de seu sapatos, tudo...

dessa eu não precisei de dicionário, por que essa não me fez entender, me fez lembrar.

Parabéns Wanderson...
Sucesso...

Darci Junior disse...

Olhaa oq falta pra vc escrever seu novo livro??
Material vc tem, talento tá sobrando... Apoioo... é apoio de dim dim... Isso vc conseguee...
Parabéns amigoo
"Relógios sem alarme ao alcance sem marcar hora alguma Uma única janela teimosa em permitir o sol..."

Lindoo

cléo disse...

Amigo,é tudo tão lindo...
delicado, sutil, amavel, comovente, triste... Me faz pensar no quanto vc fará alguem feliz, na sorte que essa pessoa terá de voce a ter escolhido.
Queria poder lhe abraçar agora, para que sentisse o quão estou estou orgulhoso, e grato em ler tão lindas palavras...
com todo o carinho que me desperta deixo aqui o meu abraço, e desejo de muito sucesso...

Alessandro Vargas disse...

Simplicidade.

Às vezes a maior riqueza.

Ótimo.

Sentimentos de um menino disse...

o Vitinho ainda vai me matra de rir!!
rsrsrsrs

olha linda mesmo, uma das minhas favoritas, ainda tenho que conviver com minha cama de plumas e polésteres e ainda não ter o "há pouco" que tanto gostei!

Você é meu favorito!

romulo lima disse...

É pequeno e super interessante, algo novo... Gostei

Mariza Resplandes disse...

Apaixonante... deixa assim. Beijo!

Maira Jeannyse disse...

Wanderson

Muito pungente...Uma tatuagem de sensações, se espalhando pelo corpo!
Salve, poeta! Vida longa!

Maira

celso disse...

nossa, wanderson...
leia as letras do paulo césar pinheiro, pra mim o letrista mais sensível e barroco do Brasil, me lembrou muito a ele esse poema... ouça em especial Senhorinha!