quarta-feira, 16 de abril de 2008

Ingratidão

Havia morcegos em meu quarto
E no meu quarto permaneceram por toda uma noite
Ou uma vida, não sei ao certo.

Só agora consigo ver hematomas colorindo minha pele.
Uma gota de sangue seca do lado direito
E do lado esquerdo... Tudo seco também.

Olho para as paredes em busca de sombras
Não há sinais de sua presença pela escuridão de minha vida
Ou do quarto, não sei.
Ele vôou antes que eu acordasse
E só deixou uma alma seca em meu peito.

Intriga-me o porquê de não ter dito nada
Se por tanto tempo sugou meu impuro sangue
"ou minha vida Eu Não Sei!"
Partir assim sem ao menos dar a certeza que existiu é deixar o peito, do qual se alimentou, seco e infértil por um longo tempo.

Havia morcegos em meu quarto
Ou em minha vida, não sei...
Só sei que eles foram embora...
E de si, não me deixaram nada.



Wanderson Lana

6 comentários:

Boo disse...

Detestáveis esses spam de blogs né?!
Quanto ao poema, estava em seu orkut, eu já havia lido e gostado.
=)
Vem cá, quando sai o resultado dos projetos literários lá?
Temos que comemorar quando der certo :)
Beijos

Mariza Resplandes disse...

"Precisas de um abraço pra voltar pro teu sossego?".

Eu tenho.
Ao menos isso, ainda.

Parabéns, inspiração.

Um beijo.

Darci Junior disse...

E porque demorou tanto para reparar nesses hematomas?
Oq estava fazendo antes?

dormindo por toda uma vida ou uma noite não sei?!

Wanderson Lana disse...

Fingindo

kiko disse...

Foi embora e nem disse tchau.

Que ingrato...

^^

Gustavo Henrique disse...

"Só agora consigo ver hematomas colorindo minha pele."

Não quero ser um morcego ingrato que ainda deixa hematomas.

õ,õ